terça-feira, 18 de maio de 2010

GENTE DO NOSSO POVO

ABEL OLIVEIRA
DE MUSICO E MINEIRO ATÉ SAPATEIRO
UMA VIDA REPLETA DE ACÇÃO

Figura emblemática da vizinha freguesia de Nespereira, Abel Oliveira nasceu em Setembro de 1934, no local de Sampaio, no lugar de Vila Viçosa, mas cedo foi viver com os avós para o lugar de Carvalhais, já no território cinfanense.

Conhecido músico das orquestras típicas da região, dedicou-se desde moço á aprendizagem da viola clássica, integrando em 1961, o Conjunto “ Os Seis Unidos “, tendo pertencido depois, durante mais de uma década, à conhecida orquestra “ Beira Douro “, que percorria toda a vasta região envolvente para animar os tipícos bailes á moda antiga.
Desde o início de 2005, esteve na fundação do Agrupamento Musical “ Luso Dance “, onde continua a dar o seu melhor na viola clássica, sendo respeitado e acarinhado por todos, dado a sua educação, simpatia e trato afável.
Numa vida dura e nem sempre fácil, o Ti Abel (como ainda hoje é conhecido na região ) nunca virou a cara à luta e fez de tudo um pouco na sua actividade profissional, e a par da música, notabilizou-se como soqueiro, o seu primeiro trabalho a sério, que lhe deu alguma visibilidade na região.
Mais tarde, rumou para a serrania do Maciço da Gralheira, onde trabalhou como “ carregador de fogo “ nas Minas de Rio de Frades, no território de Arouca, pertencentes a uma empresa alemã, tutelada pela Companhia Mineira do Norte, que no horizonte da guerra mundial, chegou a acolher mais de 3000 trabalhadores e repartia com os ingleses a exploração do volfrâmio naquelas serranias, instalados na periferia de Regoufe. Esteve na fundação do Rancho Folclórico de Nespereira em 1962, onde ainda mantem a actividade e ao serviço do qual percorreu o país de lés a lés, tendo já estado em Espanha, Suiça, França e Brasil. Vendeu pão por conta de uma padaria de Macieira e chegou a laborar num engenho de linho e na construção civil.
Ainda laborou nos Moinhos da Feira, quando a electricidade veio substituir a força da água, para girar as mós de três estruturas, e exerceu depois a profissão de electricista, calcorreando a região para prestar serviço em muitas terras vizinhas, assim como foi um trabalhador dedicado na antiga Fábrica de Calçado em Nespereira, onde chegou a desempenhar as funções de encarregado, recolhendo a simpatia de todos, como colega e amigo de todos os momentos.
Já como reformado, nunca esqueceu o seu último ofício, e foi exercendo, com brio e mestria, a actividade de sapateiro, no lugar da Feira, onde reside na freguesia de Nespereira. Hoje, o Ti Abel mantem um espirito jovem, de convívio fácil, o carisma de quem protagonizou uma vida carregada de histórias e emoções, de quem soube ser digno de si próprio e merecer a admiração e o respeito dos outros.

5 comentários:

  1. parabens ao senhor abel de nespereira pessoa que ja conheco ha muito tempo ele merece sem divida este reconhecimento que o carlos lhe faz um abraço

    ResponderEliminar
  2. Isto é um simples pequeno resumo de toda a sua grande/enorme experiencia de vida,por isso é que todos o admiram e gostão dele.
    Parabens ao "Ti Abel" (meu avô) por toda a sua dedicação, em todo o que faz parte, motivo pelo qual todos se orgulham...
    Obrigado e parabens ao Sr. Carlos pelo reconhecimento que lhe faz.
    Ass: Fábio Pereira, neto...

    ResponderEliminar
  3. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  4. Parabéns ao Abel e ao autor desta bela narrativa. Mas há mais. O Abel faz parte do elenco do rancho folclórico de Nespereira desde a sua fundação,salvo erro em 1962, sendo o único elemento que resta desde então. Durante muitos anos foi executante da dança e depois passou a músico, onde aínda se mantém activo. Com o folclore nespereirense percorreu todo o país, deslocando-se ainda a Espanha, França, Suiça e Brasil, além de duas presenças na Televisão. Em certos períodos da sua vida trabalhou na construção civil, agricultura, engenho de linho e vendeu pão no lugar onde reside ao serviço de uma padaria de Macieira.

    ResponderEliminar
  5. parabens ao Sr. Abel de Nespereira que ja conheco a muitos anos
    São bonitos exemplos estes que nos fazem recuar no tempo e perceber a grandeza das pessoas simples e humildes
    Um abraço para si e para o senhor editor pelo belissima pagina que aqui apresenta que mostra dedicaçao e gosto

    ResponderEliminar