quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

CCR DE VILA VIÇOSA VAI PROMOVER
" PASSAGEM DE ANO CASEIRA "

Embora não sendo nada oficial e antecipadamente previsto, o Centro Cultural e Recreativo de Vila Viçosa não vai deixar passar despercebida a transição para o novo ano e tem planeado abrir as portas da sede da colectividade para quem ali quiser festejar a Passagem de Ano, num ambiente de saudável convivialidade.

O novo elenco directivo do CCR de Vila Viçosa quer, assim, promover uma nova dinâmica associativa e, como nada estava agendado, em termos de festejos, resolveu abrir as instalações da associação aos sócios e simpatizantes, potenciando uma oportunidade para a própria comunidade local se juntar num espaço amplo e acolhedor e se divertir numa salutar confraternização, no adeus ao Ano Velho e na saudação ao Ano Novo.
Segundo Hugo Amaral, presidente da colectividade, “ como nada estava previsto em termos de iniciativa de final de ano, decidimos fazer alguma coisa, abrir a sede aos sócios e à população, a quem quiser participar, bastando que cada um possa trazer algo para comer e beber e partilhar entre todos, este momento especial de final de ano “.
Recorde-se que a organização abre as portas da sede do CCR de Vila Viçosa ás 22 horas e promete alguma animação, nomeadamente musica, karaoke e algumas surpresas, mantendo o seu bar em funcionamento pela noite dentro, num tributo especial ao novo ano de 2011.
Uma iniciativa louvável e a não perder….

domingo, 26 de dezembro de 2010

JUNTA DE FREGUESIA TEM QUE DEVOLVER
MAIS DE 7000 EUROS AO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA
ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE ESPIUNCA APROVOU
PLANO DE ACTIVIDADES E ORÇAMENTO PARA 2011

A Assembleia de Freguesia de Espiunca, presidida por Celestino Nunes, aprovou por unanimidade, na sua sessão ordinária de Dezembro, o Plano de Actividades e Orçamento para 2011, mas a grande revelação da última sessão ordinária deste ano, foi a notícia dada pela presidente da Junta de Freguesia, da notificação recentemente recebida do Ministério da Agricultura, para a autarquia devolver mais de 7000 mil euros, por procedimentos incorrectos na candidatura para o financiamento do projecto “ Moinho da Espiunca “, concluído em 2005.

Depois do período destinado à intervenção do público, a reunião da AF prosseguiu com a Leitura da Acta da reunião anterior, que foi aprovada por todos, seguindo – se o Período de Antes da Ordem do Dia, com a intervenção de vários membros do PS e PSD.
Hugo Amaral lembrou a questão da necessidade de continuação de um bocado de calçada no caminho de acesso ao Pocinho, em Vila Viçosa, enquanto Carlos Lopes abordou a questão dos inúmeros buracos na estrada municipal do Gamarão e no acesso a Vila Cova, tal como foi referida a mesma situação na EM 505 para Vila Viçosa.
Adão Pinho lembrou o lixo e entulho deixado nas bermas e valetas no acesso a Vila Cova, indicando as terraplanagens florestais como principais responsáveis desta situação.
A autarca de Espiunca reconheceu a degradação constante destas acessibilidades que servem a freguesia, mas escudou-se no Vereador Albino Oliveira, para evidenciar que já tinha reclamado e solicitado uma intervenção municipal nestes acessos, mas que até hoje o pedido não foi atendido.
Por outro lado, e depois de varias reclamações em AF, a Junta de Freguesia prometeu debruçar-se no problema da falta de sinalética na freguesia, nomeadamente nos principais acessos, anunciando que, no próximo ano, se deverá avançar nesta área.
Depois de já ter reclamado sobre a falta de iluminação publica e muros no Caminho da Costarela, Carla Monteiro voltou a falar no caminho da Costarela ( ate parece que os problemas de Vila Viçosa apenas se situam nesta zona…) solicitando que seja beneficiado, tendo a autarca referido que o arranjo deste caminho está para breve, não se justificando agora nenhuma intervenção, uma vez que é uma obra que vai avançar.
Celestino Nunes encerrou este período de intervenções para esclarecer uma situação que lhe diz respeito, contestando aqueles que o acusaram de andar a fazer um muro no meio de um caminho público, dando explicações tidas por convenientes, sobre o que já cedeu em termos de terreno ao domínio público, solicitando à autarquia que, se tiver duvidas, que vá verificar no local, se o que fez, está ou não dentro da legalidade.
Relativamente à actividade da Junta de Freguesia nos meses mais recentes, a autarca Fátima Fonseca, falou na questão da poluição do ribeiro, na perspectiva de mudança de postes em Vila Viçosa e no pedido de reforço de energia no mesmo lugar, face aos constantes cortes que tem acontecido, assim como abordou o problema da queda de pedras na escarpa junto à ponte sobre o Rio Paiva na EM 505, destacando as diligências já efectuadas junto da edilidade de Arouca.
Depois deu explicações sobre os trabalhos que faltam ainda realizar no acesso ao centro da freguesia e à Igreja Matriz, bem como no alargamento que vai em breve ser concretizado num caminho em Vila Viçosa, na zona do Pinheiro, e o arranjo num carreiro público que também serve aquela zona do lugar.
Mas a “ bomba “ estava para estoirar, quando a autarca local anunciou a “ má noticia “ de que a Junta de Freguesia foi notificada por carta registada do Ministério da Agricultura para devolver mais de 7 mil euros ( 1400 contos ) por procedimentos administrativos incorrectos no processo candidatura para o financiamento do projecto “ Moinho da Espiunca “, concluído e inaugurado em 2005.
Uma situação vergonhosa, que evidencia que o processo desta obra comparticipada, não foi devidamente acompanhado e fiscalizado e que os requisitos da candidatura, no âmbito da ADRIMAG, não foram legalmente cumpridos, apesar da presidente da Junta de Freguesia que, na ocasião era a secretária da autarquia pelo PSD, atestar que o processo está conforme e sobre o financiamento estará tudo em ordem, em fase de arquivo.
Neste contexto, foi dada a informação que a autarquia já solicitou a intervenção da jurista da CM de Arouca, que agora vai apreciar o processo e tentar contestar a decisão, se bem que tenha já confessado a dificuldade de ter êxito na argumentação.
Fátima Fonseca não rejeitou as responsabilidades neste assunto delicado, já que tem um mês para dar uma resposta ao solicitado e admitiu mesmo que, se tiver que pagar, vai tentar o pagamento faseado, confessando que a situação pode não ser estranha, uma vez que, já em Abril de 2009, no tempo da presidência de Henrique Soares, houve um pedido de explicações à Junta de Freguesia sobre o financiamento desta obra, sendo que importa saber agora quem é que esteve por detras desta candidatura e que tipo de resposta foi dada ao MA quando esta entidade pediu informação detalhada sobre a obra, um conteúdo que deve estar arquivado e anexado na pasta do projecto...possivelmente!
Um caso que, certamente, ainda vai dar muito que falar….nao só pelas responsabilidades que devem ser assumidas, mas tendo em conta a situação de carência financeira que a autarquia apresenta, que pode ver assim cerceada de uma fatia consideravel do seu já parco peculio orçamental.
O Plano de Actividades e Orçamento para 2011, no valor de 37.704 euros, que mereceu algumas explicações por parte da autarca local, foi aprovado por unanimidade, reflectindo a contenção na despesa e a dificuldade de promover grandes obras dada a escassez de recursos financeiros.

PERIODO DE INTERVENÇÃO DO PÚBLICO

Sendo que o período destinado à intervenção do público está agendado para o inicio da sessão, o que de certa forma limita a intervenção de quem for mais retardatário, embora assim esteja consignado no Regimento da AF aprovado e em uso, nao posso de deixar fazer algumas considerações pessoais, como cidadão interessado e interventivo.
Ora o que decorre desta decisão é que, se um cidadão chegar atrasado à sessão, já não poderá intervir e se no desenrolar dessa mesma sessão for abordado um assunto do seu interesse, da sua esfera de actuação, ou até se for de algum modo interveniente, já não terá a oportunidade de se prenunciar ou até fazer a própria “ defesa da honra “. O que é lamentável e pouco ético...
O normal neste procedimento seria o espaço de intervenção do público ser sempre no fim da sessão, como aliás acontece na grande maioria das autarquias ( assembleia municipais e assembleias de freguesia…porque será que temos de ser diferentes dos outros ?), dando a possibilidade de qualquer cidadão se pronunciar, ate porque sendo no inicio, outra situação decorre nesta problemática, já que uma possoa ao intervir no inicio, depois de ouvir a resposta à sua questão, pode ausentar-se, não lhe interessando mais os conteúdos da sessão, as outras questões em debate e análise na AF, o que demostra um mau exemplo de cidadania.
Oxalá que os membros da AF e o seu presidente possam reflectir sobre o assunto, na perspectiva de, em termos futuros, possam corrigir uma situação que se afigura incómoda e limitativa do direito à intervenção e à cidadania...uma situação que nao favorece a população e que se estranha tenha sido alterada quando o confronto de ideias é salutar e a colaboração entre todos imprescendivel ao bom funcionamento da autarquia.

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

MENSAGEM DE NATALCor do texto DO EDITOR


POR CARLOS OLIVEIRA *

Num momento em que tanto se evidencia o espírito de Natal e se apela ao frenesim desenfreado do consumo, interessa destacar aqui o gesto fraterno e altruísta de lutar pelo próximo, pelo bem comum, sempre na perspectiva de um Mundo melhor, mais justo, mais humano e mais solidário.

E mesmo assim, neste tempo de apelo à concórdia e tolerância, ainda existe tanta gente que só olha para o seu umbigo, vive com o mal dos outros, só pensa em si, num ridículo testemunho de vaidade e arrogância, desdenhando quem ainda passa mal ou não teve possibilidade de ir mais além na vida.
Perante tanto atropelo ás leis, perante tanta injustiça, perante tanta miséria social e degradação humana que se evidencia a cada dia que passa, perante a disfunção no desenvolvimento e desequilíbrio na distribuição da riqueza, será que se ajusta ao momento aquela ideia de que, “ Natal é quando um homem quiser “.
Tenho muitas dúvidas…. mas aceito que o tempo é de partilha e de solidariedade…
Ao contrário do ano que termina, o próximo 2011 não vai trazer tempo de euforias, nenhuma oportunidade para o colectivo nacional entrar em loucura, a não ser que o meu glorioso pudesse repitir a proeza de 2009/2010, ao tempo de Jorge Jesus, e volte a ser Campeão Nacional, o que duvido, face á pedalada evidenciada pelos nortenhos.
O processo da pedofilia na Casa Pia afinal ainda não estará encerrado de vez e vai certamente arrastar-se pelo tempo, com recursos sem fim, os envolvidos no escândalo do Apito Dourado, em vez de estarem no chilindró, vão continuar a passear a sua impunidade, pelo que, para além da animação do debate politico, que vai incendiando as hostes partidárias e animando os telejornais, já com as eleições presidenciais á vista, vamos ter de gramar com o Governo todas as semanas, de “ espada em riste “ a continuar a esgrimir golpes mortais nas nossas carreiras, nos nossos salários, pensões e nas regalias e direitos adquiridos ao longo de décadas, ao longo de uma vida, impondo, sem apelo nem agravo, medidas de austeridade que nos levam ao desespero, num quotidiano cada vez mais amargurado e difícil.
Numa democracia participativa, ficar parado é aceitar de ânimo leve, as regras do Governo, dos grupos poderosos, dos que ditam as leis por interesses e oportunismos, daqueles que tudo querem, mas que se esquecem dos mais desfavorecidos, daqueles que têm de sobreviver à míngua com uma pensão de miséria, cuja maior percentagem fica na farmácia ou na mercearia da esquina, ou do roubo descarado quando vamos as bombas de gasolina e pagamos os combustíveis mais caros da Europa, sendo nós um dos países mais pobres do espaço europeu.
Está pois, nas nossas mãos, exercer o direito de cidadania, evidenciar a nossa opinião, agora que se vislumbra mais um ano de sacrifício, mais um período de sofrimento a troco de uma recuperação económica que parece não sair da “ cepa torta “ e em que, em termos de sucesso, já muita pouca gente acredita.
Sabemos que os tempos são de turbulência e de dificuldade económica, mas sobretudo de falta de respeito, compreensão e diálogo entre os homens, que se esquecem tantas vezes dos mais pobres, dos doentes e dos abandonados e oprimidos, ao mesmo tempo que se valorizam politicas de fachada, estratégias de guerra e uma sociedade egoísta e materialista.
Conforme dizia Fernando Pessoa, “ ser feliz é reconhecer que vale a pena viver apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise. É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de construir oásis no recôndito da sua alma, é agradecer a Deus cada manhã pelo milagre da vida “.
E porque é tempo de Natal e um Novo Ano está a chegar, quero desejar aos meus amigos de verdade, aqueles que comigo se cruzam no dia a dia ou que, mesmo distantes, espalhados por esse Mundo fora, me recordam e que amiúde revejo na minha memória, mas também aos que se assumem como inimigos e que me dedicam alguma animosidade, e bem assim como aos estimados leitores deste "web jornal", que com gosto edito há quase dois anos, umas FESTAS FELIZES, com muita saúde, felicidades e o maior sucesso no novo ano, perspectivado num período de êxitos e de realizações pessoais.
A todos aqueles que, mesmo distantes, nao esquecem a sua terra, a todos aqueles que têm o gosto de visitar este espaço de informação local, um BOM NATAL e FELIZ ANO NOVO a todos e que Deus vos abençoe…


* Jornalista

terça-feira, 21 de dezembro de 2010


Telejornal local foi a surpresa da noite
CLUBE DE JOVENS DE VILA VIÇOSA
VOLTOU A ORGANIZAR “ JANTAR DE NATAL “


A exemplo do ano transacto, o Clube de Jovens de Vila ViçosaCJovem, promoveu no passado Sábado, dia 18 de Dezembro, o “ Jantar de Natal “, uma actividade de confraternização aberta a toda a comunidade de Vila Viçosa.

A iniciativa voltou a traduzir-se num rotundo sucesso e despertou natural expectativa e entusiasmo, chegando mesmo, em termos de adesão, a ultrapassar o registo de 2009.
A organização reservou o salão do Centro Cultural Recreativo de Vila Viçosa para este Jantar de Natal, gizado para assinalar, em ambiente de harmonia e saudável confraternização, a época festiva que se avizinha e que se caracteriza pelo espírito solidário e fraterno que todos devemos cultivar.
Para além da ementa habitual nesta quadra natalícia, esta festa da comunidade de Vila Viçosa não deixou de ter animação musical e uma surpresa bem agradável para alegrar o evento, uma espécie de show teatral, num cenário de sátira orientado para uma tipologia de estúdio de TV local, com um telejornal improvisado, a relatar em tom jocoso, o aumento da taxa de natalidade e das grandes obras projectadas e perspectivadas para a localidade.
Recorde-se que, tal como na iniciativa do ano passado, num só espaço, uma grande parte da população local, mais de 180 pessoas estiveram reunidas à mesa, numa partilha de afectos e sentimentos, na perspectiva de que, orientados pela mesma estrela brilhante que chega de Belém, todos possam ser família e uma comunidade feliz, nesta terra de encanto do território arouquense.
Para além dos representantes de outras colectividades locais, marcaram presença o Reverendo Padre José Paulo Teixeira, pároco da freguesia de Espiunca, bem como todo o elenco da Junta de Freguesia, tendo a autarca local tido a oportunidade de reconhecer o mérito e de louvar esta iniciativa realizada em Vila Viçosa.
O Clube de Jovens, através da sua dirigente Andreia Soares, fez as honras da casa e não deixou de evidenciar o gosto e a satisfação de conseguir promover, uma vez mais, este jantar natalício e de, em torno de um agradável convívio, reunir a comunidade local, dando assim cumprimento, a um dos objectivos delineados pela associação para o ano que agora termina.
VEJA AQUI, NUM REGISTO FOTOGRÁFICO, ALGUNS DOS MOMENTOS DESTE JANTAR DE NATAL : http://picasaweb.google.com/coliveira.periodista17/JANTARDENATALCJOVEM2010?feat=directlink

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

MENSAGEM DE NATAL
DO PÁROCO DA FREGUESIA DE ESPIUNCA

Aos Paroquianos de Espiunca

O Natal é Jesus que nasce; é dentro de nós que Ele nasce; e por isso o presépio onde nasce somos nós.
No entanto, as luzes e a música, as compras e as iniciativas culturais são um sinal de um tempo diferente. Tenho medo de chegarmos ao Natal cansados do Natal, perdidos em montras e luzinhas.
Vamos deixar as luzes e os natais comprados e vendidos e penetrar no mistério que se aproxima. Vamos com Maria e José preparar o presépio. Esqueçamos o boi e o burro, os pastores e as luzes, o musgo e os reis. Vamos olhar para Maria e José, figuras de Advento.
Eles conduzem-nos no caminho da fé, o único possível acesso ao mistério do Natal.
Afinal, foi tudo tão simples para que Deus pudesse habitar entre nós: um coração livre, capaz de renunciar aos projectos pessoais para se abrir à iniciativa de Deus.
Foi o que fizeram Maria e José. É também o que nós precisamos de fazer para que aconteça Natal!

Espiunca, Arouca, 18 de Dezembro de 2010.


Padre José Paulo de Sousa Teixeira

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010


Bailes no Natal e Ano Novo
CCR DE VILA VIÇOSA
VAI PROMOVER TORNEIO DE SUECA

O Centro Cultural e Recreativo de Vila Viçosa, agora como nova direcção liderada por Hugo Amaral, anunciou esta semana a abertura das inscrições para um Torneio de Sueca, que terá lugar na sede da colectividade, junto ao Parque Desportivo.

Trata- se de uma iniciativa gizada para um convívio saudável para as noites de Sexta - Feira e Sábado e preconiza a intenção do novo elenco em promover diversas actividades culturais e desportivas, procurando estabelecer uma relação de proximidade entre a associação e a própria comunidade.
As inscrições para este Torneio de Sueca decorrem até ao próximo dia 2 de Janeiro e a prova, segundo a colectividade, vai arrancar no dia 7.
Entretanto, estão também agendados bailes nesta quadra festiva, sendo que, quer no dia de Natal, com os Unidos de Nespereira, quer no dia de Ano Novo, com os Finfas de Nespereira, haverá dança tarde e noite.
Por outro lado, o presidente Hugo Amaral já evidenciou a vontade de, antes do final do ano, promover uma reunião com todo o elenco directivo, na perspectiva de fazer um diagnóstico da situação da colectividade e avaliar a possibilidade de desenvolver várias actividades para o próximo ano, podendo mesmo inovar em termos de realização de eventos.

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

ASSEMBLEIA GERAL REALIZOU-SE NA ANTIGA ESCOLA PRIMÁRIA
ASSOCIAÇÃO SOCIAL E CULTURAL DE ESPIUNCA
APROVOU PLANO DE ACTIVIDADES PARA 2011

Recentemente reunida em Assembleia-Geral, que teve lugar nas instalações da antiga Escola Primária de Vila Viçosa, a Associação Social e Cultural de Espiunca – ASCE, aprovou por unanimidade o seu Plano de Actividades para o ano de 2011.

Segundo o seu presidente da Direcção, João Avelino, esta associação sem fins lucrativos, continuará a perseguir os seus grandes objectivos, orientados para :
a) O apoio aos jovens, à terceira idade e a grupos carenciados;
b) A recuperação e preservação do património cultural da freguesia de Espiunca;
c) A promoção do desenvolvimento cultural, social e físico da população.
Tendo em conta os fins da ASCE e o previsível agravamento das condições de vida dos mais idosos e dos grupos carenciados, ficou a saber-se que a ASCE irá dar maior atenção à solidariedade que se revele mais necessária, sendo que está perspectivada a promoção de um Natal Solidário para os mais carenciados e a realização de Bailes de Solidariedade para a angariação de fundos para o efeito, sendo o primeiro no dia 5 de Fevereiro.
Na área da Saúde, esta associação social pretende estabelecer parcerias para levar por diante acções de sensibilização e de rastreio da população mais idosa, em torno do lema “ Envelhecer com qualidade” e a curto prazo deseja concretizar um protocolo com a Cruz Vermelha Portuguesa ( Delegação de Arouca) para que seja possível o acesso ao Banco de Ajudas Técnicas.
Segundo o dirigente João Avelino, " irá ser tentada uma colaboração com o projecto social “Arouca Inclui”, na criação de condições para a formação para seniores e iremos pugnar para que se venha a concretizar uma “sala sénior” de modo a promover o convívio e retirar da solidão os mais idosos, tentando que, numa primeira fase, a Câmara Municipal de Arouca possa disponibilizar um animador social, mesmo que seja apenas uma vez por semana.
O Encontro de Gerações está contemplado no Plano de Actividades para o próximo ano e será uma iniciativa para a preservação do património cultural da freguesia em conjugação com uma caminhada de confraternização, percorrendo emblemáticos caminhos antigos.
Outro destaque da actividade da colectividade será a iniciativa Rostos de Espiunca cujo tema potenciará uma exposição fotográfica a abranger todos os que tenham mais de 65 anos e o evento " À descoberta de Espiunca " será outro desafio para toda população, motivando que possam fotografar, com recurso ao telemóvel, os locais mais interessantes ou menos conhecidos da freguesia.
Por último, sabe-se que a ASCE já agendou o dia 7 de Agosto para levar a efeito o II Encontro de Ex-Alunos da Escola Primária de Vila Viçosa, certos de que terá o mesmo êxito do primeiro e, ainda, no mesmo mês, tentará levar a efeito uma Semana Cultural de Espiunca.
A realização de Jogos tradicionais, Magusto e recreação de uma Desfolhada Tradicional, são também objectivos da ASCE, sendo que Unir Espiunca será o objectivo de um possível Encontro de Associações da Freguesia, com vista a possíveis iniciativas em conjunto.

sábado, 11 de dezembro de 2010

Federação pode reunir congéneres da Rota de Cister
REALIZADO EM AROUCA O 8º GRANDE CAPÍTULO
DA CONFRARIA GASTRONÓMICA DA RAÇA AROUQUESA

Reunidos no feriado do primeiro de Dezembro, como manda a tradição, mais uma vez na emblemática Sala do Capítulo do imponente Mosteiro de Arouca, os elementos da Confraria Gastronómica da Raça Arouquesa, agremiação fundada em 2002 e que visa a preservação daquela espécie bovina autóctone, deram cumprimento ao VIII Capítulo - a sua reunião anual que serve também para admitir e entronizar novos membros.

Com forte adesão de amigos e congéneres convidadas, a Confraria Gastronómica da Raça Arouquesa realizou com sucesso o VIII Grande Capítulo da sua existência, um evento solene, atractivo e muito participado, num espaço histórico que foi demasiado pequeno para acolher, não só os próprios Confrades, como os representantes das diversas Confrarias Gastronómicas vindas de várias regiões do país, bem como convidados e acompanhantes, tendo marcado presença o Presidente da Câmara, Artur Neves, também membro da Confraria Local.
Durante a cerimónia foram investidos 9 Confrades Noviços e foram entronizados 17 Noviços como Confrades Irmãos, sendo que a partir de agora a Confraria da Raça Arouquesa passa contar com quase sete dezenas de Confrades, devendo ser evidenciado que, muitos dos seus membros, não sendo arouquenses, quiseram passar a pertencer a esta Confraria arouquense, facto que pode ser entendido como sinal do apreço que estas pessoas têm pela região de Arouca, pela Raça Arouquesa e do grande prestígio que esta Confraria Gastronómica já tem a nível nacional.
Desta feita, foram nove os noviços (primeiro grau de admissão) que receberam o escapulário, que simboliza a comunhão dos valores da Confraria. Perante uma plateia que incluía elementos de diversas confrarias de outros pontos de Portugal, os novos confrades repetiram o lema que os une: " preservar a raça e saborear a carne com graça", ao que se seguiu uma prova de um naco da carne arouquesa, acompanhado por uma taça de vinho verde da região.
Neste encontro do 8º Capítulo, estiveram representadas diversas Confrarias do território continental, destacando-se a vinda da Confraria das Carnes da Madeira, que não deixou de marcar presença no evento.
O restante protocolo dirigido pela mesa (com o Grão-Mestre a liderar) concluiu-se com a entronização dos 17 confrades e uma confreira iniciados no ano transacto, que agora, com todo o mérito, mereceram e puderam vestir pela primeira vez, o característico traje castanho da Confraria (tipo capote e chapéu de aba larga ) e assinar o termo de vinculação à instituição.
Antes da realização dos restantes momentos do programa deste VIII Capítulo, que se traduziu no desfile e na eucaristia celebrada pelo Reverendo Padre Peres no Convento de Santa Mafalda, Dario Tomé, na qualidade de mestre de cerimónias, relatou um novo passo que a Confraria Gastronómica da Raça Arouquesa está a ajudar a promover, nomeadamente a criação de uma associação das confrarias da Rota de Cister, uma federação que visa englobar todas as agremiações congéneres das localidades com ligação à Ordem de Cister, de Portugal e do restante continente europeu (Espanha, alguns países do leste e França, a sede do movimento religioso com raízes no século XI).
Recorde-se que a Raça Arouquesa, cujo Livro Genealógico é detido pela ANCRAAssociação Nacional dos Criadores da Raça Arouquesa, entidade sedeada em Cinfães, tem mais de 6700 exemplares registados, sendo que a sua área de implantação se situa no maciço serrano da Gralheira-Freita-Montemuro.
A suculenta carne desta raça bovina é cada vez mais procurada, e a sua qualidade é referenciada ao mais alto nível, sendo que a sua certificação é um dos principais encargos da esfera de actividade da ANCRA, presidida por Mário Correia da Silva.

Reportagem de Carlos Oliveira

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

ELEIÇÕES TIVERAM LISTA ÚNICA
CCR DE VILA VIÇOSA TEM NOVO ELENCO DIRECTIVO
HUGO AMARAL É O NOVO PRESIDENTE

Foi o único candidato que aceitou o desafio e ja fazia parte da anterior gestão, vencendo as eleições do passado fim de semana para a colectividade da terra. Em escrutínio realizado no sábado passado, Hugo Amaral foi escolhido pelos sócios do C.C.R. de Vila Viçosa como novo presidente do clube.

A eleição era esperada, a partir do momento em que apenas uma lista se submeteu a votos, sendo agora o sucessor de Manuel Armando Silva à frente dos destinos alvinegros.
Após a contagem dos votos foi promovida de imediato a Tomada de Posse ao novo elenco directivo para o próximo biénio, ficando assim definidos os três sectores directivos da associação :
Direcção - Presidente: Hugo Amaral,Vice-presidente- Nuno Filipe Duarte, Tesoureiro- António Resende Soares, Secretário -Alberto Paiva
Mesa da Assembleia-Geral: Presidente - Joaquim Ferreira,1º Secretário- Marcelo Pereira
Conselho Fiscal: Presidente: Manuel Armando Silva,1º Secretário- Sílvio Brito
Integram ainda a lista vencedora, nos diversos cargos efectivos e suplentes, os seguintes nomes: Agostinho Pereira, Pedro Semblano,Nuno Bessa, Antonino Moreira, Carlos Semblano, Bruno Fonseca, Ricardo Semblano, Tiago Pinto, António Silva, Hélder Teixeira, Carlos Soares, Daniel Oliveira e Pedro Barbosa.
Oxala que a nova Direcção do CCR de Vila Viçosa tenha sucesso no mandato que agora vai enfrentar, sempre na perspectiva de que, a colectividade possa potenciar a felicidade e o convivio no seio da comunidade que representa, promovendo iniciativas de relevo nas mais diversas áreas da actividade desportiva e recreativa, procurando reduzir o conceito que ainda existe nesta terra que a cultura é bailes, bailes e mais bailes, quando os horizontes de hoje podem ser mais amplos e atractivos se, na conjugação de esforços e na vontade de todos colaborar, se pode realizar coisas interessantes, atractivas e dinamizadoras da convivialidade numa terra que ser quer progressiva e dignificada.
BOA SORTE AO NOVO ELENCO DO CCR DE VILA VIÇOSA...
* agradecimento ao Blog Tertulia Alvinegra

domingo, 5 de dezembro de 2010

Nas instalações do clube local
CLUBE DE JOVENS DE VILA VIÇOSA
VOLTA A ORGANIZAR “ JANTAR DE NATAL “

A exemplo do ano transacto, o Clube de Jovens de Vila ViçosaCjovem, vai promover no próximo dia 18 de Dezembro, o “ Jantar de Natal “, uma actividade aberta a toda a comunidade de Vila Viçosa.

A iniciativa, que no ano passado se traduziu num rotundo sucesso, está a despertar natural expectativa e entusiasmo, esperando-se que, em termos de adesão, possa mesmo ultrapassar o registo de 2009.
A organização reservou o salão do Centro Cultural Recreativo de Vila Viçosa para este Jantar de Natal, gizado para assinalar, em ambiente de harmonia e saudável confraternização, a época festiva que se avizinha e que se caracteriza pelo espírito solidário e fraterno que todos devemos cultivar.
Para além da ementa habitual nesta quadra natalícia, esta festa da comunidade de Vila Viçosa não deixará de ter animação musical, com karaoke e surpresas para alegrar o evento.
Recorde-se que, na iniciativa do ano passado, num só espaço, quase toda a população local, mais de 170 pessoas estiveram reunidas à mesa, numa partilha de afectos e sentimentos, na perspectiva de que, orientados pela mesma estrela brilhante que chega de Belém, todos possam ser família e uma comunidade feliz, nesta terra de encanto do território arouquense.
O Clube de Jovens ja percorreu o lugar para recolher inscrições e, em breve, voltará a percorrer a povoação para recolher as ofertas e donativos das familias que quiserem dar o seu contibuto para a iniciativa festiva.

terça-feira, 30 de novembro de 2010

FEITO HISTÓRICO NA LIGA DE HONRA/ORANGINA
SENSACIONAL FC DE AROUCA VENCEU EM PENAFIEL
E JÁ CHEGOU À LIDERANÇA DO CAMPEONATO

É sem duvida um feito notável...para nao dizer histórico...o FC de Arouca, que ainda há quatro épocas atras andava nos distritais da AF de Aveiro, chegou esta semana à liderança repartida da Liga de Honra / Oragina, ao vencer no reduto do Penafiel por 1-0, num jogo repleto de nervos e emotividade, a contar para a nona jornada do campeonato nacional.

Com os empates do líder Gil Vicente e do Trofense, tanto Penafiel como Arouca assumiam o comando se ganhassem. Os locais ficariam mesmo isolados, mas foram os comandados de Henrique Nunes, com um golo solitário de Kiko aos 88 minutos, a alcançar o primeiro lugar, em igualdade com as formações de Barcelos e da Trofa, mas com a liderança a pertencer ao Arouca que, recorde-se já foi conquistar um empate no terreno dos gilistas.
A equipa do Arouca entrou bem na partida, a jogar de forma desinibida, a demonstrar garra e ambição, chegando mesmo a dominar na primeira metade do encontro.
Com a acção cingida praticamente ao meio campo, fruto do calculismo inerente a quem tem muito a ganhar, mas também muito a perder, os remates da primeira parte não passaram de esboços de oportunidades de golo, mas não deixa de ser verdade que, fruto do maior pendor ofensivo, os forasteiros foram mais acutilantes e perigosos no ataque.
A tarde fria de Penafiel não afastou os adeptos, que corresponderam ao bom momento da sua equipa com uma afluência recorde ao Estádio Municipal 25 de Abril, mas a emoção reflectiu-se no relvado, com ambas as formações a darem o melhor de si para chegar à vitória, ficando o argumento que, a vitória servia a ambos para chegar ao topo da classificação.
O Arouca, com o melhor ataque da Liga de Honra (14 golos) apenas na sequência de pontapés de canto conseguiu criar perigo, primeiro através de Jeremie (27 minutos), depois por intermédio de Kiko (36).
O Penafiel, que estava imbatível em casa esta temporada em jogos do campeonato, regressou dos balneários decidido a vencer, com Diogo Rosado (57 minutos) e Kanu (59) a estarem muito perto do golo, tendo conquistado o meio campo adversário, fruto de duas subsituações inteligentes de Lázaro Oliveira, que com Victor e Guedes, tentou o tudo por tudo para chegar ao triunfo.
Completamente transformadas, as duas equipas carregaram no acelerador, imprimindo um ritmo elevado de jogo, com ataques sucessivos de parte a parte. Vítor, de livre, esteve perto, mas o guardião arouquense Marco, irrepreensível ao longo da tarde, negou-lhe o golo.
De cabeça perdida, os jogadores desentenderam-se, com o árbitro alentejano Luís Catita a distribuir cartões amarelos e os ânimos a exaltarem-se nas bancadas e no camarote presidencial, com as forças policiais a serem forçadas a intervir para acalmar varios adeptos do Penafiel, que durante o jogo não se cansaram de “provocar” o banco dos visitantes.
O jogo quente das bancadas foi acompanhado no relvado, com Kiko, na sequência de um livre, superiormente marcado, a garantir no “ cair do pano “, os preciosos três pontos aos FC de Arouca, para desespero dos jogadores do Penafiel, que, nos últimos minutos de jogo fizeram um “ forcing “ e estiveram perto do empate por três vezes.
O Arouca esteve em grande nível e com todo o mérito, soube resistir a tudo e conquistar a sua primeira vitória fora do seu estádio, igualando o Gil Vicente e o Trofense no topo da tabela, com 16 pontos, assumindo-se, no ano de estreia no futebol profissional, como a grande sensação da Liga de Honra.

FICHA DE JOGO :
Penafiel-Arouca, 0-1
Árbitro : Luís Catita, de Évora
Ao intervalo: 0-0
Marcador: 0-1, Kiko, 88 minutos
Cartões Amarelos : Ginho, Marco e Edu Sousa
Equipas:
Penafiel: Márcio Ramos, Dias, Sandro, Digão, Ginho, Bruno Madeira, Hugo Soares (Vítor, 45), Kanu (Manoel, 79), Jardel (Guedes, 73), Diogo Rosado e Michel
(Suplentes: Tiago, Ferreira, Vítor, Guedes, Manoel, Elizio e Cascavel)
Arouca: Marco, Steven, William, Kiko, Hernâni, Diogo, Babanco (Hugo Cruz, 89), Jorge Leitão, Hélder Silva, Jeremie e Edu Souza (Bruninho, 54)
(Suplentes: Pedro Soares, Hugo Cruz, Fernando, André Soares, Bruninho, Hugo Monteiro e Paulinho)

REPORTAGEM DE
Carlos Oliveira - texto e fotos

sábado, 27 de novembro de 2010

Apresentadas as Contas de 2010
FESTA DE S.PELÁGIO DE 2011
JA TEM MORDOMOS ANUNCIADOS

Fazendo um balanço bastante positivo dos festejos, foram recentemente apresentadas as contas da edição de 2010 da festa em honra de S. Pelágio, padroeiro de Vila Viçosa, que totalizaram um saldo de 8.177 euros a transitar para o próximo ano.

Na rubrica da receita, a Comissão de Festas liderada por João Oliveira, Pedro Semblano e Americo Monteiro, conseguiram arrecadar 30.890 euros, fixando-se a despesa dos festejos de 2010 em 22.713 euros.
Entretanto, para alem de agradecer a todos aqueles que, de um forma ou de outra, contribuíram para a concretização da Festa de S. Pelágio, a Comissão de Festas de 2010 já anunciou e transmitiu ao Reverendo Padre João Paulo, a nova Comissão de Festas que vai assumir a organização dos festejos de 2011, sendo nomeados mordomos Acácio Semblano, Abilio Paiva, José Beleza Dias e Sérgio Soares.
Esta equipa mostra-se confiante num bom trabalho e perspectiva uma boa romaria para o próximo ano, esperando que, a exemplos de outras edições, todos possam colaborar e dar o melhor apoio à iniciativa, procurando dignificar a nossa festa e honrar o lugar de Vila Viçosa.

sábado, 13 de novembro de 2010


No recinto da Escola Primária de Vila Viçosa
ASCE PROMOVEU CONVÍVIO
E MAGUSTO DE S.MARTINHO

Numa tarde pouca solarenga, a Associação Social e Cultural de Espiunca, colectividade sedeada no lugar de Vila Viçosa, promoveu no passado Domingo, dia 7, o seu Magusto de S. Martinho.

A iniciativa teve lugar no recinto da antiga Escola Primária e juntou algumas dezenas de populares, num animado convívio à volta das castanhas assadas e do vinho novo.
Ao lado do presidente da direcção da ASCE, João Avelino, o dirigente José Silva Pinto deixou uma saudação aos presentes e congratulou-se por mais esta realização orientada para o convívio popular, manifestando depois, a vontade de que, na conjugação de esforços e de interesses, se juntem vontades e anseios, no sentido de fazer mais e melhor por Vila Viçosa e pela freguesia.
E como convívio popular sem música não tem grande lógica, a organização não deixou de providenciar a presença de um “ duo local “, oriundo do Agrupamento Musical Sondagem, para promover um animado bailarico no espaço da “ galilé “ da escola e possibilitar um “ pezinho de dança “ aos mais afoitos.
Aqui se deixa alguns registos deste magusto de S. Martinho da ASCE, que no próximo mês tem também agendado um jantar de Natal, aberto a toda a população. Clique neste link: http://picasaweb.google.com/coliveira.periodista17/MAGUSTODAASCE2010?feat=directlink

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

CRÓNICA DE VIAGEM

Na serrania de Ancares e a um passo das Astúrias
Uma viagem por terras de Espanha
e as “ fiestas “ loucas de Fabero del Bierzo

Reportagem de Carlos Oliveira *

A exemplo de anos anteriores, um período de férias, para além de servir para descansar e conhecer novas paragens, foi escolhido para fazer-me à estrada e numa “escapadinha “ rever velhos amigos, aqueles que, mesmo à distância, não se esquece e se continua a estimar com mais vontade.

Voltei recentemente a Fabero del Bierzo, município espanhol cercado pela serrania de Ancares e pela Cordilheira Cantábrica, a um passo da emblemática região das Astúrias, terra outrora marcada pelo bulício da exploração carbonífera e pela presença de centenas de família portuguesas, que aqui se fixaram à procura de uma melhor vida.
Tinha vontade de voltar a “ viver por dentro “ as suas “ Fiestas del Verano “, repetir a dose da envolvência das noites loucas pelos bares e ruas da vila, conviver com os amigos, sentir que não somos estranhos, assistir a alegria contagiante de uma terra simpática e hospitaleira que sabe receber bem.
Tal como em outras edições, e apesar do calor tórrido que se fez sentir, as festas grandes voltaram a ser grandiosas, a justificar bem o forte empenho do “ Ayuntamiento de Fabero “, entidade que promove e assume a realização da iniciativa, apostando numa programação de excelente nível, que cada vez desperta e cativa maior adesão.
O concerto do conhecido duo espanhol “ Estopa “ foi sensacional, com os irmãos “ Muñoz “ a incentivar o delírio da juventude, ao apresentarem em Fabero os trabalhos do seu último disco, mas memorável foi, também, o espectáculo de Juan Pardo, o veterano cantor madrileno que ainda arrebata corações e arrasa multidões com o romantismo e o encanto dos seus melhores êxitos discográficos.
Os ritmos actuais com o grupo local “ Ebidem “ e as grandes noitadas animadas com as fabulosas orquestras Israel, Nuevo Talisman e Suavecito completaram um programa variado que contemplou iniciativas culturais, desportivas, mostras gastronómicas, provas de vinhos e actividades religiosas, onde merece realce a majestosa procissão em honra de Nossa Sr.ª del Rosário que percorre as principais ruas da vila, sempre com a participação das autoridades políticas e colectividades locais.
Os emigrantes portugueses, outrora trabalhadores mineiros, não esquecem a Virgem de Fátima, e continuam a decorar as janelas com lindas colchas e imagens da Nossa Senhora.
A noite mágica de Fabero é qualquer coisa de loucura, com dezenas de bares abertos toda a noite, a debitar os êxitos do momento, repletos de “ malta nova “ a curtir numa boa, essencialmente “ chicas muy guapas “ que irradiam sorrisos e nos cativam para a conversa, para um copo ou mesmo para um pé de dança.
O ambiente transforma-se completamente a partir das primeiras horas da noite e aquilo que, durante o dia, parecia uma urbe sem movimento e sem graça, apresenta-se como uma vila em êxtase, num delírio alucinante que salta para as ruas e empolga os visitantes, ao ponto de nos sentirmos obrigados a participar nesta agitação colectiva.
Quem viaja por terras de Espanha nunca poderá ficar indiferente à constante animação nocturna existente em qualquer " pueblo " ou vila, por muito simples que seja, e já nem valerá a pena recordar a grandiosidade das " Ramblas " no coração da Catalunha.
Em terras de Fabero não se foge à regra... acreditem que vale a pena !!!
As entidades locais também já perceberam que a atracção turística sem animação nocturna não é possível, daí a proliferação de bares, para todos os estilos e gostos, daí a aposta forte da Câmara Municipal e do “alcalde” Demétrio Canedo numa nova centralidade urbana nesta zona mineira, onde a " movida " começa a mexer com a região e a cativar cada vez mais gente.
Voltar a estar com os responsáveis políticos de Fabero, com o Henriquez, jornalista do Diário de León, e com tantos amigos que por ali tenho, e partilhar bons momentos de convívio, é um prazer imenso, um sentimento que dá orgulho e alento para garantir os valores de uma verdadeira amizade.
Beber um bom vinho da região demarcada de “ El Bierzo “, como um reserva “ Palácio de Arganza entre tantos outros, e comer umas saborosas “ tapas “ num dos muitos bares da vila de Fabero é sempre motivo de satisfação, não só pela partilha de agradáveis momentos, mas pela sensação de que somos bem recebidos, com carinho e uma simpatia que nos deixa à vontade e satisfeitos.
O prestígio conseguido por estas festas espalhou-se pela região e tem sido aplaudido pela população e visitantes, que reconhecem o meritório trabalho que tem sido desenvolvido pelo Alcalde Demétrio Canedo e pela sua Vereadora da Cultura, Carmen Travado, que governam em nome do PSOE esta ridente vila espanhola, cujas origens medievais ainda estão evidenciadas em inúmeros vestígios que se podem encontrar em redor dos seis “ pueblos “ que constituem o território municipal.
Com uma extensão de 42,5 Km2 e cerca de 7 mil habitantes, este é o terceiro núcleo mais importante da Comarca de El Bierzo, na província de León.
Terra de vales e de rios, de montanhas e de povos que conservam o tipicismo de outrora, a vila de Fabero, localizada a 700 metros de altitude, deve o seu crescimento demográfico e urbanístico á exploração mineira, uma actividade que teve grande peso nesta comunidade e que hoje é quase inexistente, perspectivando-se agora o aproveitamento das antigas minas para a concretização de um projecto de um Parque Temático dedicado ao sector mineiro e a ser servido pela auto-pista proveniente das Astúrias, que terá aqui um oportuno e funcional nó de acesso.
Desde o centro da vila ou partindo do Parque de Campismo em Lillo, o visitante pode perceber a grandiosidade da natureza envolvente, optando por vários itinerários pelo Vale de Fabero, desde o Caminho de Fontoria, ao Caminho de Pontigas, Robledal, da Água e de La Rubiona, este último percurso a atravessar o antigo lugar de Otero de Naraguantes, e onde ainda se pode ver moinhos recuperados e os tradicionais “ palomares “, um tipo de arquitectura popular usado em tempos mais recuados.
A exploração mineira foi a grande riqueza de Fabero e durante décadas marcou a economia local e alimentou os sonhos de muita gente, em particular de muitas famílias portuguesas, mas hoje, a exemplo do que se passa no restante território da bacia carbonífera de León, só resta minas abandonadas e o Lavadero de La Raicina para perpetuar a época em que a antracite era o motor do desenvolvimento desta região da Comarca de El Bierzo.
A cumprir o sexto mandato consecutivo, o Alcalde Demétrio Canedo continua optimista, acreditando nas potencialidades turísticas da região, e a sua popularidade no seio da família faberense continua em alta, até porque, a aposta nestas festas patronais, com uma combinação de atracções e ritmos para todos os gostos, é sinal da vontade de projectar e dar a conhecer uma terra laboriosa que, ultrapassado o apogeu do carvão, procura agora, revitalizar-se e consolidar um futuro sustentado e harmonioso.
No regresso a casa, e depois de um pequeno desvio até ao Lago de Carocedo, nos Montes Aquilianos, é imperdoável não visitar as “ Las Médulas “, as ruínas do que hoje resta da exploração aurífera mais importante do Império Romano e declaradas Património da Humanidade, com muitos castros e mais de 150 Km de rede de canais e galerias, a provar a grandeza desta colonização nesta zona da península.
Justifica-se também uma breve paragem no Alto das Ermidas, na C 533, já nos limites de fronteira da província de Ourense, para apreciar a beleza da remota povoação de Las Ermidas, encravada num penhasco assustador, com o seu casco histórico e o imponente mosteiro a dominar largos horizontes.
Não é difícil chegar a esta terra de Castilla y León, mas o melhor trajecto continua a ser a A24 ( se for por Cinfães ) ou o IP4 até Vila Real e depois a Auto - Estrada A24, agora totalmente aberta até à zona de fronteira em Vila Verde da Raia, para depois, já perto de Verin, entrarmos na Auto – Pista A 52 seguindo até à saída de La Gudiña, onde tomamos a estrada C 533 em direcção de Viana del Bolo e A Rua até Freijido para apanhar a N120 que nos leva até Vila Franca de El Bierzo se optarmos por Cacabellos na estrada LE 712 ou por Ponferrada se seguirmos pela Auto Pista e sairmos para a Variante LE 711 até Fabero.
A sugestão aqui fica, só resta vontade para realizar este passeio, na certeza de que, se gosta da neve e da exuberância da natureza, esta é a ocasião ideal para “ marchar “ para a localidade que, desde Novembro de 1995, partilha os desígnios de uma frutuosa geminação com as vilas portuguesas de Castelo de Paiva e Vila Pouca de Aguiar.
E, por outro lado, com a crise acentuada que teima em tramar-nos o quotidiano, sempre dá jeito atestar o depósito do carro com gasolina muito mais barata e comprar umas coisitas que, face à actual diferença de 6 pontos percentuais do IVA, sempre valerá a pena aproveitar.
Até lá…

* em Fabero - Espanha

segunda-feira, 25 de outubro de 2010


A propósito do próximo Acto Eleitoral
COMUNICADO DA DIRECÇÃO
AOS ASSOCIADOS DO C.C.R DE VILA VIÇOSA

A direcção do C.C.R. de Vila Viçosa, após recente reunião, divulgou em comunicado o seu posicionamento em relação ao próximo acto eleitoral:

* No passado dia nove de Outubro, reuniu a direcção do C.C.R. de Vila Viçosa em sua sede pelas vinte e uma hora e dez minutos.
Nesta reunião também estiveram presentes o Presidente e o 2º secretário da Assembleia-Geral, o Presidente e o Vice-presidente do Conselho Fiscal.
Presidiu a reunião o Presidente da Direcção com a seguinte ordem de trabalhos:
- 1º Ponto: Adiamento das eleições.
Foi proposto pela direcção, o adiamento das eleições dos corpos gerentes da colectividade, pelos motivos abaixo referidos:
- Encontrar-se em fase final o processo de legalização da sede e dos balneários da colectividade;
- Dar início as obras da cobertura dos balneários e da adequação da sede aos novos regulamentos;
- Necessidade de uma melhor coordenação e avaliação das diferentes intervenções;
- 2º Ponto: Marcação das próximas eleições
- Marcar como data das próximas eleições, o dia de vinte e sete de Novembro de dois mil e dez.
Após discussão, ambas as propostas que foram apresentadas, foram aprovadas por unanimidade pelos elementos presentes da Direcção, Assembleia-Geral e Conselho Fiscal.
Vila Viçosa, 10 de Outubro de 2010.

quinta-feira, 21 de outubro de 2010


TRIUNFO SUADO DE 2-1 SOBRE O SANFINS

CCR DE VILA VIÇOSA VITORIOSO
NO TORNEIO DE FUTEBOL DE VILAR DE ARCA



A equipa representativa do Centro Cultural e Recreativo de Vila Viçosa – CCRVV, somou mais um título em provas disputadas fora de casa, alcançando agora um merecido triunfo no Torneio de Futebol de Onze de Vilar de Arca, importante lugar da freguesia de Santiago de Piães, no vizinho concelho de Cinfães.

Numa excelente tarde de calor e muito sol, a equipa do CCR de Vila Viçosa apresentou-se bastante motivada no campo do Vilar de Arca, para disputar o jogo da final do Torneio de Futebol de Onze - 2010, contra a turma do Sanfins, numa partida aguardada com natural expectativa.
Nesta final e sob o comando interino do jogador Hugo Amaral , a equipa do CCR de Vila Viçosa, apresentou a seguinte constituição: Nuno, Victor Lopes, Ricardo, Daniel, António Carlos, Victor Teixeira, Hugo, Carlos Daniel, Pedro, Filipe e Carlos Soares.
Na segunda parte entraram Bruno, Sérgio, Daniel II e Tenente
Resultado ao intervalo: 0 - 0
Golos de Filipe aos 15 e 43 minutos
Num jogo disputado a bom ritmo, a vitória acabou por sorrir à turma alvinegra, fruto de um espectacular golo de Filipe, mesmo ao “cair do pano” da segunda parte.
A equipa do CCRVV procurou mostrar-se bem organizada, que tem bons valores e consegue ombrear de “ peito aberto “ com qualquer outro adversário.
A equipa técnica apostou num meio-campo povoado e estruturou sua equipa num sistema 4-2-3-1, com Nuno na baliza e um quarteto defensivo formado por António Carlos à direita, Vítor Lopes esquerda, Daniel e Ricardo ao centro.
À frente da linha defensiva uma dupla forte e sincronizada, composta por Victor Teixeira e Carlos Daniel.
Na faixa direita alinhou Carlos Resende, na esquerda Pedro e ao centro António Carlos e Hugo. O jogador mais adiantado foi Filipe, autor dos dois golos dos visitantes.
Numa tarde a "cheirar" a Verão, quem se deslocou ao campo do Vilar de Arca, deu o tempo por bem empregue e assistiu a uma partida bem disputada, por duas equipas apostadas em proporcionar um bom espectáculo de futebol, tornando a final mais emotiva.
O CCR de Vila Viçosa iniciou o jogo a mostrar claras intenções de jogar o mais possível dentro do meio campo adversário, sendo que a turma de Sanfins procurava acertar com as marcações no centro do terreno e procurar encetar transições rápidas rumo ao último terço do terreno alvinegro.
Apesar do bom ritmo de jogo, as oportunidades escasseavam e o encontro foi para o intervalo em branco.
No início da segunda metade da partida surge o golo de CCR de Vila Viçosa, marcado por Filipe aos 15 minutos, aproveitando a recarga vinda do guarda-redes contrário.
O Sanfins reagiu e encetou uma toada mais ofensiva, à procura de mais oportunidades de golo, que lhe permitisse obter o golo do empate, um desiderato que veio a conseguir, aos 35 minutos de jogo.
O CCR de Vila Viçosa, contudo, não baixou os braços e com alguma criatividade na construção de jogo, ia conseguindo colocar a bola nos corredores laterais e ganhar espaços que potenciassem a criação de oportunidades de golo.
E a vitória surgiu mesmo no final…em cima do minuto noventa, após boa jogada da equipa alvinegra e de fora da área, Filipe tenta o golo e arranca um potente remate, conseguindo colocar a bola ao ângulo esquerdo da baliza adversária, deixando o guarda –redes do Sanfins sem qualquer hipótese de defesa.
Uma vitoria suada, mas justa da equipa do CCR de Vila Viçosa que, depois de Canelas, volta assim , a conquistar mais um torneio de futebol disputado na região…

terça-feira, 19 de outubro de 2010


Milhares de arouquenses fizeram a festa na Catedral da Luz
Derrota contra o Benfica não tirou brilho
á presença do FC de Arouca na Taça de Portugal

O Benfica, a pensar na próxima jornada europeia, poupou em jogadores e energia e apresentou um onze desfalcado de alguns titulares, acabando por garantir a presença na quarta eliminatória da Taça de Portugal, com uma goleada caseira por 5-1 ao FC de Arouca, que se apresentou em Lisboa bastante motivado, depois do empate frente à Académica, e com uma impressionante legião de adeptos, que não se arrependeram de fazer mais de 600 km para assistir a um jogo histórico, realizado a horas impróprias, só para salvaguardar interesses televisivos.

Num jogo tranquilo, mas que não deixou de ser emotivo quanto baste, um “bis” de Kardec (24 e 45 minutos) e golos de Saviola (31), Luisão (66) e Gaitan (86) garantiram aos anfitriões uma vitoria fácil perante o oitavo classificado da Liga de Honra, que ainda conseguiu marcar aos 87, por intermédio de Diogo, para gáudio de milhares de arouquenses espalhados pelas bancadas da Catedral da Luz.
Dada a proximidade dos compromissos das selecções e da terceira ronda da Liga dos Campeões, o treinador dos “encarnados”, Jorge Jesus, deu a titularidade ao guarda-redes Júlio César, colocou Airton como lateral direito e Sidnei a central, enquanto César Peixoto fechava o flanco esquerdo.
Era um jogo de grande expectativa e apesar da dilatada derrota no Estádio da Luz, frente ao Benfica, actual campeão nacional, o FC de Arouca deixou uma imagem bem positiva na deslocação à capital portuguesa, neste confronto da terceira eliminatória da Taça de Portugal.
A equipa de Henrique Nunes apresentou-se na Catedral de " peito aberto ", sem medo da grandeza do adversário, com um futebol solto, pratico e bonito, sustentado num arrojado sistema 4x2x3x1, que obrigou o Benfica a aplicar-se bem para suster o ímpeto ofensivo dos arouquenses, que dominaram a partida no quarto de hora inicial.
No reduto do campeão, o FC de Arouca mostrava as suas credencias e evidenciava a verdadeira razão porque estava nas três frentes do futebol português, depois de um empate motivador com a Académica para a Taça da Liga, onde foi amplamente prejudicado por Olegário Benquerença.
Mas a jornada da Taça de Portugal foi dia de festa para as hostes arouquenses, que viveram com intensidade e muita alegria este momento único e histórico de jogar contra o Benfica no emblemático cenário do Estádio da Luz, com o concelho de Arouca a mobilizar-se para uma presença digna e esmagadora, protagonizando uma mega excursão que levou mais de três dezenas de autocarros até à capital, totalizando mais de 3500 adeptos.
E até não faltaram emigrantes vindos de todo o mundo, destacando-se aqueles que fizeram questão de alugar um avião, vindo de Paris, para vir a Lisboa de propósito ver o seu Arouca a jogar no maior estádio português…
Um número bem expressivo, principalmente atendendo à totalidade de sócios que o clube arouquense tem, pouco mais de 1.300, ou até mesmo os cerca de 23 mil habitantes do território de Arouca….
Foi uma jornada de festa, alegria e convivialidade…o Arouca tem tradições na Taça de Portugal, já que no ano passado deu nas vistas e só bloqueou perante o Paços de Ferreira, depois de ter eliminado o Marítimo, mas o ano de 2010 tem sido verdadeiramente fantástico para a equipa arouquense, já que depois de se ter sagrado Campeão Nacional da 2ª Divisão e, por inerência, adquirir o estatuto do futebol profissional, está a dar cartas na Taça da Liga, e começou bem o campeonato da Liga de Honra, acabando por cair agora aos pés do Campeão Nacional, numa jornada da Taça que, independente do desfecho final, serviu para escrever mais uma página de glória no livro de memórias onde estão registados os feitos notáveis da colectividade aveirense desde a temporada de 2006/07.
Sem dúvida o dia 16 de Outubro fica na história! Apesar da goleada de 5-1, o FC Arouca mostrou-se ao mundo, espalhou a sua magia, a sua grandeza e, acima de tudo, a sua ambição. A cor, a emoção, a vibração de milhares adeptos nas bancadas, fez bater o coração, num jogo que ficará para sempre... na memória de todos !
O simbolismo de defrontar os campeões nacionais pela primeira vez nos seus 59 anos de história foi, provavelmente, a principal razão que sustentou a forte adesão dos arouquenses a este jogo, mas também foi o contexto de festa associado aos jogos da Taça de Portugal que movimentou as gentes do concelho, orgulhosa dos feitos do seu principal clube que, ainda há quatro épocas atrás, militava os distritais da Associação de Futebol de Aveiro.
Um apoio incondicional das gentes da terra que foi assumido como uma manifestação de orgulho e de regozijo para com o ciclo de cinco anos de sucessos que o clube concluiu no final da última época e que lhe permitiu ascender, sucessivamente, desde os distritais até aos campeonatos profissionais, onde tem realizado uma carreira notável.
Um feito extraordinário e mediático da estrutura directiva liderada por Carlos Pinho, que ainda não trouxe o devido reconhecimento à região de Arouca, embora essa “ nuance” não possa servir de atenuante ao estatuto de verdadeiro exemplo que o clube representa no seio do futebol nacional, principalmente atendendo ao contexto de crise global que a todos atinge e que é transversal a quase todas as vertentes da sociedade.

JOGAR SEM MEDO NA CATEDRAL DA LUZ

Jogo disputado no Estádio da Luz, em Lisboa.
Ao intervalo: 3-0.
Marcadores:
1-0, Kardec, 24 minutos.
2-0, Saviola, 31.
3-0, Kardec, 45.
4-0, Luisão, 66.
5-0, Gaitan, 86.
5-1, Diogo, 87.
Equipas:
- Benfica:
Júlio César, Airton, Luisão, Sidnei, César Peixoto, Javi Garcia (Luís Filipe, 46), Sálvio, Gaitan, Aimar (Nuno Gomes, 68), Saviola (Weldon, 61) e Kardec.
(Suplentes: Moreira, Luís Filipe, Fábio Faria, Felipe Menezes, Jara, Weldon e Nuno Gomes).
- Arouca:
Pedro Soares, William, Fernando, Hernâni (Paulinho, 72), Steven, Hélder Silva, Diogo, Babanco (Hugo Monteiro, 72), André Soares (Nené, 55), Jorge Leitão e Jeremie.
(Suplentes: Marco, Hugo Cruz, Pardi, Nené, Paulinho, Hugo Monteiro, Kiko).
Árbitro: Marco Ferreira (Madeira).
Acção disciplinar: cartão amarelo para William (44) e Steven (70).
Assistência: 24 mil espectadores.
O técnico Henrique Nunes, optou por um sistema táctico arrojado, sempre com William, Fernando e Hernâni perto da sua área, a proteger o guardião Pedro Soares, enquanto Jeremie ficava só, à frente, entre os centrais da casa.
Com iniciativa, mas sem espaço nem velocidade necessários para progredir na intermediária contrária, o Benfica viu o Arouca a dominar nos minutos iniciais e a aproximar-se com maior perigo da sua baliza, com remates de Babanco e Hélder Silva.
Até que, aos 24 minutos, um rápida troca de bola entre Salvio, Saviola e Gaitan iludiu a defesa adversária e colocou este último em óptima posição para servir a cabeça de Kardec, que inaugurou o marcador.
Aos 31 minutos, foi a vez de Saviola aumentar a vantagem, aproveitando, à boca da baliza um ressalto depois de a bola ter sido rematada de cabeça ao poste pelo colega de equipa Kardec, depois de um livre de Aimar.
Noutro pontapé de canto, após um desvio de uma defesa, Kardec voltou a marcar de cabeça, em cima do intervalo, com muita facilidade, perante o desconcerto dos defesas arouquenses, mais uma vez bastante passivos na sua área.
Na segunda parte, já com Luís Filipe na direita da defesa e Airton no lugar do médio espanhol Javi Garcia, o FC de Arouca limitou-se a assegurar um resultado pouco humilhante perante o campeão nacional.
Com o Benfica a continuar a gerir recursos, a equipa de Henrique Nunes nunca baixou os braços e com algum arreganho e criatividade sempre forçou o ataque, tentando chegar ao golo nesta sua estreia no Estádio da Luz.
Aos 66 minutos, Luisão aproveitou os vários bloqueios dos colegas e surgiu ao primeiro poste, para, com uma cabeçada forte e perfeita ao ângulo superior da baliza, dar o melhor seguimento ao cruzamento milimétrico de Peixoto.
Aos 86, Gaitan depois de uma bonita combinação com Nuno Gomes e surgiu isolado na “cara” do guarda-redes adversário, marcando o quinto golo com um toque em jeito, enquanto no minuto seguinte foi de festa dos milhares de adeptos arouquenses, graças ao golo de Diogo, num lance de plena oportunidade à boca da baliza encarnada, um justo prémio para o empenhamento desta equipa do Arouca que, mesmo goleada, deixou uma excelente impressão nesta deslocação ao reduto do Benfica.
Reportagem de Carlos Oliveira, em Lisboa

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Arouquenses em peso na Catedral da Luz
SL BENFICA x FC DE AROUCA
É O ATRACTIVO DA TAÇA DE PORTUGAL
Carlos Pinho refere que é dificil ganhar, mas nao é impossível


São esperados perto de quatro mil adeptos e simpatizantes do FC de Arouca para o jogo da Taça de Portugal com o SL Benfica, no próximo sábado. Trinta e três autocarros já estão confirmados para rumar à capital portuguesa e descarregar no Estádio da Luz.

A jornada é de festa, alegria e convivialidade…O ano de 2010 tem sido um ano verdadeiramente fantástico para a equipa de Arouca. Depois de se ter sagrado Campeão Nacional da 2.ª Divisão e, por inerência, adquirir uma participação inédita nas competições profissionais, a equipa de Henrique Nunes está a dar cartas na Taça da Liga, começou bem o campeonato e prepara-se para mais um momento ímpar na sua história, ao deslocar-se ao Estádio da Luz para defrontar os campeões nacionais, em jogo referente à terceira eliminatória da Taça de Portugal.
Será caso para se dizer que no próximo sábado, a vila de Arouca estará quase deserta, uma vez que um grande numero de arouquenses de todas as freguesias e arredores, vai percorrer a Auto-Estrada A1 rumo a Lisboa, onde se realiza o desejado duelo com as águias, com direito a transmissão televisiva pela Sport TV…quem diria isto de uma equipa que, ainda, há quatro épocas atrás, militava os distritais da AF de Aveiro.
O FC de Arouca está a cumprir a sua estreia nos campeonatos profissionais com o único objectivo de garantir a permanência, pelo que o desafio para a Taça de Portugal com o Benfica é encarado mais como um veículo mediático para o reconhecimento público do clube. E na verdade, nunca se falou tanto de Arouca e do seu clube nas Radios, nas TV's e nos Jornais Desportivos...só por tudo isto Arouca e o seu clube já são vitoriosos...
Contudo, a equipa orientada pelo veterano Henrique Nunes conta no seu seio com a experiência de três grandes atletas que, embora de gerações diferentes e em jogos distintos, já sorriram em jogos na capital frente aos encarnados. São três pequenas histórias de sucessos com a mesma origem, o BOAVISTA, nomeadamente o médio Pedro Santos, o extremo Hugo Monteiro e o defesa Steven, que se sagrou campeão nacional de juniores pelos axadrezados.
O presidente do Arouca, Carlos Pinho, recusa-se a atirar a toalha ao chão, mas reconhece o favoritismo do SL Benfica face à sua equipa, no confronto de sábado à noite, a contar para a 3.ª eliminatória da Taça de Portugal. O líder do clube está, portanto, mais preocupado com outros aspectos, como as questões financeiras, e por isso reconhece que, “o Benfica era mesmo o adversário que desejávamos para esta fase da prova.”
Conhecemos as nossas limitações, sabemos o que podemos fazer, mas o Arouca não teme ninguém. Nesta região há muitos benfiquistas, como também há portistas, mas tenho falado com eles e posso garantir que este sábado, vão estar todos a torcer por nós. Sei que uma possível vitória do Arouca seria uma enorme alegria para todos.”
Sem sair desta mesma linha de raciocínio, o presidente Carlos Pinho em declarações à imprensa desportiva, garante que a sua equipa de futebol, “é o orgulho de todos os arouquenses”, mas lembra que mais importante do que a Taça de Portugal é o campeonato da Liga de Honra, onde o Arouca está fazer boa figura.
É nesse espaço competitivo que o clube centra todas as atenções e, por isso, um dos jogadores mais experientes do plantel, o ex-Boavista Pedro Santos, não deve ser utilizado na deslocação à Luz, uma vez que ainda procura a sua melhor forma física, pois está em fase final de recuperação de uma lesão.
Ainda assim, apesar de estar privado de algumas peças importantes do seu plantel, a equipa arouquense parte para a Luz motivada e cheia de ambição, sem pensar no descalabro, até porque, “pode ser difícil ganhar lá, mas não é impossível. Temos que sonhar alto”, assegurou Carlos Pinho, o grande obreiro dos feitos notaveis que a colectividade de Arouca tem protagonizado desde a temporada de 2006/07.
A equipa de reportagem do Jornal " O Gaiense " - Jornal de Paiva / Cinfães acompanha o FC de Arouca com o apoio da Agencia de Viagens - CAMBRATUR, em Arouca.

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Jogo histórico da Taça de Portugal
FC de Arouca vai ao Estádio da Luz
defrontar o campeão SL Benfica

O próximo Sábado, dia 16 de Outubro, vai ser um dia histórico para as hostes do FC de Arouca, quando milhares de adeptos arouquenses rumarem à capital portuguesa para garantir o melhor apoio à equipa no confronto com o SL Benfica, actual campeão nacional, no magnífico cenário da Catedral da Luz, em jogo da terceira eliminatória da Taça de Portugal.

Integrado nas três frentes do futebol nacional, Liga de Honra, Taça da Liga e Taça de Portugal, o Futebol Clube de Arouca está a demonstrar a sua grandeza, a sua garra e a sua ambição, catapultando o orgulho arouquense para um patamar nunca imaginável, se tivermos em linha de conta que, ainda há quatro épocas atrás, militava os distritais da AF de Aveiro.
Ultrapassada a primeira fase de apuramento da Taça da Liga, onde despachou equipas como o Belenenses e o Penafiel, o FC de Arouca está a fazer um campeonato tranquilo e, se não tivesse desperdiçado uma vitória que parecia certa, no seu reduto contra o vizinho Feirense, tínhamos agora a equipa de Henrique Nunes, em segundo lugar da tabela classificativa da Liga de Honra, com sete pontos, logo atrás do líder Gil Vicente.
Na Taça de Portugal, a equipa arouquense foi a Esposende eliminar a equipa local, da 3ª Divisão Nacional, na Taça da Liga vai defrontar a Académica em dois jogos que se perspectivam autenticas finais e, agora, calhou-lhe em sorte o Benfica, actual campeão nacional, e logo em jogo a disputar no magnífico Estádio da Luz, uma partida agendada para o próximo Sábado, dia 16 de Outubro, com as previsões a apontar milhares de arouquenses de "malas aviadas" para Lisboa para fazer a festa na capital e garantir o melhor apoio e incentivo à equipa do FC de Arouca, cada vez mais na alta-roda do futebol português.
O jogo com o Benfica será, sem dúvida, um marco histórico na vida do clube arouquense, quanto mais não seja por aquilo que representa no âmbito do sucesso que o FC de Arouca protagoniza desde 2006, na altura em que Jorge Gabriel, o apresentador da RTP, ajudou a dar alguma visibilidade nacional à colectividade, contribuindo para o êxito que hoje se vive num orgulho colectivo que motiva cada vez mais o interesse dos "media".
Perspectiva-se pois, uma grande jornada de confraternização, e a direcção de Carlos Pinho está apostada em fazer desta deslocação ao Estádio da Luz, um momento único que perdure para sempre na memoria de todos os adeptos e todos os arouquenses que não dispensam o melhor apoio à equipa que, ainda no passado fim de semana, aviou o Moreirense com três golos sem resposta.
Em casa do campeão nacional que ganhe o melhor e que a festa seja de todos…de amizade, de ampla confraternização e de grandeza desportiva…para bem do futebol !!! E que acima de tudo a terra de Arouca seja divulgada, engrandecida e prestigiada...